Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

22
Fev20

Vasco Pulido Valente (1941-2020)


Eremita

Screenshot 2020-02-22 at 08.43.26.png

fonte

Gosto que se diga que foi o melhor prosador da sua geração e sinto a ansiedade que sempre surge quando morre um escritor que admirávamos: se não pego no Glória nos próximos dias, creio que morrerei sem ter lido esse livro. 

Adenda 1: recomendo este completíssimo texto sobre VPV que foi publicado no Malomil em 2014 e dois textos de Diogo Ramada Curto, um de Junho de 2016 e outro de Fevereiro de 2018.

Adenda 2: artigos de VPV n'O Tempo e o Modo

 

9 comentários

  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    22.02.20

    Entretanto, diverte-te com as cenas do Nuno Arturinho Silva enrolado, sem surpresa!, nas negociatas das moribundas Produções Fictícias. E posta, pá, linka, pá, mexe-te, pá, vais rapidamente ao arquivo do Ouriq que tens lá páginas de antologia...

    https://imgs.vercapas.com/covers/sol/sol-2020-02-22-4fc82b.jpg
  • Imagem de perfil

    Eremita

    22.02.20

    Era mesmo necessário encher a caixa de comentários de um post de homenagem a VPV com este lixo?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    23.02.20

    Comparado com o nível intelectualmente miserável do teu post de ontem, e quando fores ai contentor do lixo doméstico leva também a tua resposta de merda, os meus comentários são candidatos ao Nobel em 2020 ou 2021.
  • Imagem de perfil

    Eremita

    23.02.20

    O que tem de "intelectualmente miserável" o post, podes explicar?
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    25.02.20

    Eremita, pá, apesar de não comentar tenho apreciado o teu esforço diário, duro!, pesadíssimo!, para salvares a face depois do post merdoso que criaste para evocar, digamos, a vida do excelente Vasco Pulido Valente... Jogando as unhas a uma boia de salvação que te foi lançada pelo DRC, um tipo dos bons, que, apesar de ser uma recensão de 2016 que tu truncaste, pastilhas dixit, sempre repara alguma da tua abalada credibilidade. No entanto, e como vi agora mesmo, quero destacar o facto de teres efectuado uma segunda adenda seguido a dica do Pastilhas sobre os tempos no Tempo e o Modo, revista que agrupava uma geração, embora fosse uma parte só, do melhor que houve no pré-25 de Abril de 1974. E que foi uma cena que, sentido!, lhe ocorreu, certamente, nos meus primitivos comentários candidatáveis ao Nobel por aqui no Ouriq... Esse gajo anónimo que te salva das bacoradas do Caramelo sabe mesmo umas cenas, né? :-) Estás perdoado, portanto, apesar de ainda não ter lido os comentários de fio a pavio, e aproveito para te parabenizar por isso. Salvé!
  • Imagem de perfil

    Eremita

    25.02.20

    Ainda não percebi o que tinha de miserável o post, começa a ser um mistério. Explica também outro: saber que O Tempo e o Modo existe online é impressionante? Ou é saber que o VPV escreveu n'O Tempo e o Modo? As minhas filhas de quatro anos têm um fascínio semelhante ao teu, mas nem tudo o que tu não sabias é impressionante. A propósito, sabias que há uma reedição da revista em livro feita pela Gulbenkian em 2007? Tenho-a comigo e recomendo-a vivamente. Como é um volume grosso, lançado de um terceiro andar sobre a tua cabeça talvez te desse pensamentos menos patetas sem que precisasses de ler os artigos. Quem é amigo, quem é?

    Já agora, para discutires o texto do DRC devias lê-lo primeiro, pois foi o teu querido Pastilhas que inventou e o que dizes sobre citações "truncadas" é uma completa mentira. Francamente, pá, então entras na discussão da forma mais desastrada possível? Não gosto de anonimatos, mas no teu caso espero que continues anónimo para sempre porque é da maneira que se previne a vergonha alheia.

    Vá, destila mais algum ódio. Mas esforça-te um pouco mais, por favor. Por exemplo, lê as coisas a que fazes alusão. Prepara-te melhor, não te precipites. Controla as emoções.
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo

    26.02.20

    Tem calma, pá!

    Eremita: o que se passa contigo, homem? Cansaço físico, mental?, febre, queres que a Gracinha da DGS trate do teu caso na próxima conferência de imprensa? Coronavírus, bílis, Ricardo Jorge, noites mal-dormidas, indisposição matinal?

    Vá, lê lá isto evolha lá qu'é à borla: a verdade é que nunca vi por aqui nenhuma referência à importância das revistas literárias portuguesas antes do 25deA. Se, depois da bóia do DRC, usas hoje como "argumento" definitivo as edições da Fundação Calouste Gulbenkian, glup!, e se tens ideias claras sobre o Tempo e o Modo dizias isso desde o princípio e não escrevias um post merdoso a.k.a. intelectualmente miserável sobre o Vasco. Mais: destacarias o papel cívico daquele grupo de católicos, como então se dizia, neste particular contextualizarias o turbilhão que a Igreja de Roma estava a passar, o que representava o fim do Salazarismo em que todos os seus colaboradores nasceram, o que significou o começo das guerras coloniais/de libertação, a notável vida cívica daquele que evocavas e, assim, sairias incólume desta discussão.

    Ao teres optado por fazer um truque, uma graçola manhosa, mencionando a/o Glória que é um exercício biográfico, que é do que se trata, não entendes mesmo nada disto, ou quase, e és o único culpado oorpor lançares a dúvida sobre as tuas muitas qualidade. Ou seja, o que é importante, daí a opção, não é ser A ou B mas, sim, o facto daquela personagem, em concreto, apresentar muitos dos traços que são hoje reconhecíveis pelos contemporâneos na nossa actual classe política realçando as suas qualidades de homem-público, de tribuno, até à sua auto-destruição, prisão, condenação, degredo e esquecimento.

    Ora, isto é notável. Nada tem que ver com a praga do romance histórico, hello!, aliás é como que um manifesto em tempos de cólera, e significou que só o consegue fazer quem sabe muito da época histórica em que a personagem se movimenta. Leituras, daí o seu elogio ao ICS quando se aposentou (?) por lhe ter proporcionado-lhe condições únicas de trabalho e se convívio intelectual (... pelo que falar-ae na sua "pouca produção" é uma imbecilidade Caramelina soprada por umas luzes sobre o que há de pior na métrica científica, como deverias saber).

    Concluindo: tinhas ido por aqui ou por além, Eremita-versão-eriçado, e não ouvirias o que não querias...
  • Imagem de perfil

    Eremita

    26.02.20

    Podes continuar exigir que eu tivesse escrito um tratado sobre o VPV em vez de um post de três linhas e a apontar falhas em dragões que são moinhos, mas perde também algum tempo a explicar o que havia de miserável nesse post tão banal e neutro. Ainda não percebi se é um problema de mau feitio ou de iliteracia (obviamente, não são explicações mutuamente exclusivas).
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Pesquisar

    Comentários recentes

    • Anónimo

      RFC2 DE JUNHO DE 2020 ÀS 17:12Valulupizinho, porra...

    • Anónimo

      2/2LENA ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES, SA, pela prática...

    • Anónimo

      Quem tramou José Sócrates? Nós todos (Ep11, onze!,...

    • caramelo

      Leitor, eu quando li "insinuação" pensei que por l...

    • Anónimo

      Não vou alimentar uma discussão que nasce de um ma...

    Links

    WEEKLY DIGESTS

    BLOGS

    REVISTAS LITERÁRIAS [port]

    REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

    GUITARRA

    CULTURA

    SERVIÇOS OURIQ

    SÉRIES 2019-

    IMPRENSA ALENTEJANA

    JUDIARIA

    Arquivo

      1. 2020
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2019
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2018
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2017
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2016
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2015
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2014
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2013
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2012
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2011
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2010
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2009
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D
      1. 2008
      2. J
      3. F
      4. M
      5. A
      6. M
      7. J
      8. J
      9. A
      10. S
      11. O
      12. N
      13. D