Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

04
Jan18

Um idiota útil


Eremita

Screen Shot 2018-01-04 at 16.14.36.png

fonte

 

... Refiro-me à ‘transformação’ de homens em mulheres e vice-versa. Se as intrusões na natureza são sempre duvidosas – quer se trate de mutações do milho ou de raças de cães produzidas artificialmente – as trocas de sexo por via cirúrgica são de uma inaudita brutalidade. 

ALÉM DE QUE são enganosas. São burlas. Embustes. Porque é impossível por via cirúrgica transformar um homem em mulher (ou o contrário), pela simples razão de que homens e mulheres não são apenas diferentes pelo facto de terem pénis ou vaginas: são diferentes em tudo. 
Os cromossomas são diferentes (os homens têm um X e um Y, enquanto as mulheres têm dois X). O cérebro é diferente... José António Saraiva

 

Reagir a uma crónica de José António Saraiva não é um sinal de inteligência, mas serve para partilhar uma perplexidade que julgo ter alguma pertinência. Saraiva critica a transexualidade com uma argumentação contraditória. Não se pode criticar a transexualidade invocando o primado da Natureza e a sua inviolabilidade porque, na esmagadora maioria dos casos, a transexualidade tem uma explicação biológica. Seja por causas genéticas ou perturbações ao longo do desenvolvimento, existem pessoas com um desajuste entre o cérebro e a genitália (e ainda as características sexuais secundárias). Ora, como é possível que, numa sociedade desenvolvida e com informação de grande qualidade à distância de um clique (bom artigo da National Geographic sobre a biologia e complicações sociais), um jornalista de topo ignore esta evidência? Sem esquecer que Saraiva é um conservador cheio de preconceitos e uma figura peculiar, creio que há uma explicação adicional, pois outros menos preconceituosos e mais capazes do que ele incorrem com frequência no mesmo erro. Paradoxalmente, estes críticos foram incubados pelos defensores mais acérrimos da transexualidade, os quais, desejosos de eliminar o estigma de doença, sistematicamente ignoram ou diminuem a importância da biologia neste fenómeno, criando a caricatura do transexual caprichoso. Com o debate dominado por extremistas full of passionate intensity, o grande desafio que se coloca ao moderados é conseguir que alguém os ouça. 

15 comentários

Comentar post

Pesquisar

Pub e serviços

Screen Shot 2019-04-07 at 17.13.03.png

”Screen

Comentários recentes

  • Anónimo

    Esse seu professor de medicina veterinária devia i...

  • marina

    o escritor que melhor encarna a França de hoje? o...

  • caramelo

    Tenho quase a certeza que concordo absolutamente, ...

  • Lowlander

    Pois amigo anonimo... vamos la a ver entao:Mesmo d...

  • Anónimo

    "A Humanidade consome proteina animal porque esta ...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D