Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

01
Jul17

Obviamente, peça a demissão, Sra Ministra


Eremita

 

 

 

[Publicado a 25.6.2017; adenda a 1.07.21017]

 

naom_5947701207efa.jpg

Ao contrário do que ouvi no Bloco Central, um programa que leva o nome à letra, é evidente que a Ministra da Administração Interna tem de pedir a demissão e antes de qualquer conclusão de uma comissão independente ou parlamentar. O Estado falhou. Não é admissível que 47 pessoas morram numa estrada horas depois de um incêndio começar. As comissões, admitindo que chegam a alguma conclusão e não se afundam nas areias movediças da partidarite, apenas nos explicarão como falhou. É óbvio que a Ministra da Administração Interna não é directamente responsável pelo que aconteceu; aliás, com um qualquer encadeamento de causas, neste momento podemos encontrar os culpados que quisermos, como fez Henrique Raposo na edição do semanário Expresso. A responsabilidade é meramente política e, ao demitir-se, a Ministra exerceria a sua derradeira função de representação, concluindo a cena que iniciou quando apareceu nas televisões de colete. Não se trata de encontrar um "bode expiatório", como tenho lido por aí, nem de seguir o caminho mais fácil para depois não se fazer mais nada, como insinuou António Costa. Trata-se apenas de honrar a memória dos cidadãos que o Estado não soube proteger, de respeitar as centenas de cidadãos com familiares que morreram no incêndio de Pedrógão Grande e de restaurar a autoridade do Estado. Não é coisa pouca, mas seria um gesto simbólico que, sendo necessário, não é obviamente suficiente. Parece-me óbvio que não há outra alternativa e entristece-me ver tanta gente a assobiar para o ar só por apoiar o actual Governo. O que diriam eles se o Primeiro-Ministro ainda fosse Passos Coelho? A pergunta é retórica e, para que conste, eu votei no PS, vibrei com a forma como Costa chegou ao poder e provavelmente voltarei a votar em António Costa ou num dos parceiros mais à esquerda.

 

Adenda: Passada uma semana, o Bloco Central (o da TSF) mudou de opinião. Em rigor, apenas Pedro Marques Lopes pede a demissão da ministra, pois Pedro Adão e Silva embrulhou-se numa argumentação sem pés nem cabeça, provavelmente fruto das suas ligações ao PS. Notei que também Miguel Sousa Tavares, no Expresso, pede a demissão da ministra, mas entretanto perdeu-se a oportunidade. Vingou o argumento absurdo e reaccionário de que a demissão da ministra seria interpretada como a resolução do problema, ficando tudo na mesma. Agora vem aí uma comissão e a ministra estará em funções até serem conhecidas as conclusões. Em suma, eis uma ministra politicamente descredibilizada, fragilizada e sem um pingo de autoridade, diante daquela que será a época de fogos mais escrutinada de sempre. Só pode correr bem e estamos todos de parabéns, incluindo o complacente colunismo do Bloco Central (o genuíno).

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Pesquisar

Comentários recentes

  • Maria

    Um grande jogador!

  • caramelo

    O meu preferido é o Babbit, mas também gosto do Ar...

  • caramelo

    A sério que tenho competência na política das caus...

  • Anónimo

    Vénia!

  • Anónimo

    Os textos do Bloom não são sobre literatura? Ó Car...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D