Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ouriquense

01
Mai18

O cliffhanger de Ricardo Sá Fernandes

Eremita

A entrevista de Ricardo Sá Fernandes a Ana Lourenço foi excepcional. Arrisco a exposição ao ridículo: fiquei com os olhos lacrimejantes - não estou a ser irónico (não estou mesmo) - quando ouvi a defesa que o advogado fez de Manuel Pinho. É possível que esta minha inesperada reacção resulte, em parte, do contraste entre a empatia (a tal "inteligência emocional") de Sá Fernandes e a ausência de empatia dos advogados de Sócrates e de outras figuras públicas em apuros. Sá Fernandes foi ao ponto de se assumir como amigo do seu cliente, uma informação que pouco faz pela imagem pública do ex-ministro, mas que aumenta o capital social de Sá Fernandes. O advogado conseguiu até a proeza de usar este caso para ilustrar a nobreza da sua profissão (o advogado que luta sozinho contra todos pelos direitos do seu cliente em maus lençóis) e fê-lo de um modo convincente. Mas o mais fascinante foi o suspense criado pelo advogado: Pinho falará quando chegar o momento certo e na altura todos perceberão por que motivo não o fez antes e concordarão com essa decisão, assegurou Sá Fernandes. Além do "défice de informação" do MP, que "razões substanciais" justificam o silêncio de Manuel Pinho? O advogado não as explicou. Depois das patetices em torno do discurso de 25 de Abril de Marcelo, que os jornalistas tanto se esforçaram por encriptar, eis um verdadeiro enigma. Grande, grande momento de televisão.

12 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Revistas literárias [port]

Guitarra

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D