Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

10
Mai19

Jordão (12)


Eremita

bola velha.jpg

Ignorava o que viria a acontecer ao Estádio de Alvalade Sporting, meio em ruínas mas com uma bancada ainda de pé, de flanco aberto, como um Coliseu à nossa medida, feito de betão armado; feio de betão armado, também. Nem os destroços se salvariam. Ainda bem. Antes a terraplenagem que as ruínas. Porque gozei Alvalade com privilégios de filho de magistrado: assistir aos jogos na bancada central, um olho no campo, o outro a tentar reconhecer os adeptos com lugar cativo. Dali vi as primeiras arrancadas do Futre, o Oliveira todo enlameado e a fazer-se substituir para recolher uma ovação, o Damas a desviar a bola sobre a barra com uma sapatada, o frenesim das noites de competição europeia. Tudo isso e o Jordão. O Jordão em tronco nu, depois de marcar um golo contra o Beira-Mar e de pôr o estádio aos pulos, uma imagem que ficou porque o Sol havia começado a baixar e uma luz bonita tomara conta das bancadas, realçava o torso do Jordão e o contraste do amarelo do Beira-Mar com o verde de Alvalade. Como teria Jordão visto o Estádio em ruínas? Imaginei o goleador na Alameda das Linhas de Torres, a sentir uma fraqueza nas pernas e a prostrar-se diante daquelas ruínas. Não acontecendo isto de verdade, que se forjasse uma fotografia. Já antes o Jordão havia sido fonte de inspiração para outros trabalhos visuais. Especializei-me em desenhar o seu perfil caricaturado; a testa alta, os lábios salientes e pendurados, à Lucky Luke, um queixo prolongado e o nariz levemente adunco. Toda a cara convergia naquele perfil. Nem se dava pelos olhos tranquilos. Das vezes que reduzi o Jordão a duas dimensões, a mais reveladora foi quando fiz dele um boneco articulado, capaz de erguer o braço no momento da glória. Manipular as articulações do Jordão, longe de ser um ritual de vodu, era a minha forma de sublimar a frustração de nunca ter conseguido marcar penáltis como ele, hoje ilegais, mas eternamente sublimes: a paradinha, o guarda-redes para um lado e a bola caminhando com vagar para o lado oposto. A simplicidade das coisas perfeitas. Ou das "coisas bonitas", como diria alguém que, salvo erro, nunca treinou o Jordão.

 

Pesquisar

Pub e serviços

Screen Shot 2019-04-07 at 17.13.03.png

”Screen

Comentários recentes

  • Anónimo

    Esse seu professor de medicina veterinária devia i...

  • marina

    o escritor que melhor encarna a França de hoje? o...

  • caramelo

    Tenho quase a certeza que concordo absolutamente, ...

  • Lowlander

    Pois amigo anonimo... vamos la a ver entao:Mesmo d...

  • Anónimo

    "A Humanidade consome proteina animal porque esta ...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D