Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

27
Mai16

Gonçalo M. Tavares


Eremita

Nunca o li com o tempo e atenção que merece. Mas já o folheei várias vezes, sobretudo os livros que registam pequenas reflexões (sobre música e ciência, nomeadamente). Fascina-me que não haja leitores cépticos e que GMT seja a nossa discreta unanimidade nacional. Mais do que ter criado um estilo novo, fica a sensação de que o escritor inventou um nicho, único entre nós, em que funde ficção, poesia e filosofia. É algo que não se consegue sem mérito e só um idiota não repararia no gozo contagiante que GMT tem no acto de pensar, mas certas passagens mostram uma facilidade de escrita que não contribui para a qualidade da reflexão. Fica a dúvida: haverá críticos em Portugal capazes de analisar a obra de GMT, o mais filosófico e destacado escritor português do XXI? Não faltará ao crítico luso típico que escreve na imprensa competência em Filosofia para escrutinar GMT e ao filósofo profissional a vocação (e tradição) para criticar um escritor que se move na esfera comercial, fora da academia? Por outras palavras, quando será que António Guerreiro, o mais competente dos críticos literários com formação em Filosofia, porá de lado três semanas para merguhar na obra de GMT e nos oferecer a crítica definitiva? Parece-me que seria um emparelhamento mais frutuoso do que o de Guerreiro com Rentes de Carvalho

 

Adenda: com uma ajuda do Google, descobri que António Guerreiro apresentou já um livro de GMT. Naturalmente, tratou-se de o Atlas do Corpo e da Imaginação. Isto significa que Guerreiro apenas precisaria de duas e não três semanas para escrever uma crítica de 4 páginas (broadsheet, num número especial do Público) sobre a obra de GMT.  

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Pesquisar

Comentários recentes

  • Anónimo

    Eremita: pensava eu que o link era para as cenas d...

  • Anónimo

    chapada neles

  • Anónimo

    José Sócrates Gonçalves Carvalho Pinto de Sousa, v...

  • Anónimo

    Sempre , sempre mas mais ao são Gonçalves .Nelson

  • Anónimo

    Nelsinho: já rezaste hoje ao São José, ou ainda nã...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D