Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

17
Out19

A social-democracia, a democracia cristã e a democracia socialista entram num bar...


Vasco M. Barreto

Mas a Europa, no final da Segunda Grande Guerra, recompôs-se, como também sabemos. Os vários Estados europeus abraçaram a social-democracia, um ideário concertado nos finais dos anos quarenta entre de De Gasperi, primeiro-ministro italiano, e Adenauer, o chanceler alemão. Curiosamente, ou não, ambos eram democratas-cristãos. Esta raiz ou génese cristã do Estado Social não deve ser subestimada. De facto, ela confronta-nos, hoje em dia, com um enorme paradoxo. A Democracia Cristã, ao contrário do que se poderia esperar, foi a grande pioneira da protecção social dos mais pobres: não alijou a carga da caridade para cima das costas dos cidadãos, pelo contrário, erigiu-a – transformando-a – como obrigação política dos Estados. Este desafio, esta obrigação, este imperativo partiram da Direita.

Por meandros longos de explicar, esse programa da Democracia Cristã foi apropriado pela Esquerda socialista. Compreende-se: a União Soviética, apesar do contributo decisivo que dera para a vitória sobre o Nazismo, levantou, sobretudo depois do XX Congresso do PCUS em 1956, dúvidas e desconfianças irrespondíveis sobre a bondade do comunismo e sobre a viabilidade da Revolução social e política. A Esquerda socialista virou Esquerda social-democrata: uma ideologia de compromisso entre o capitalismo e o socialismo, tendo este sido relegado para um futuro incerto. A social-democracia, em contraste com o liberalismo oitocentista, era firmemente estatista, exigindo ao Estado assistência aos mais depauperados, a criação de uma pesada gama de serviços sociais, uma economia de mercado regulamentada, uma farta redistribuição da riqueza e, no termo de um mais ou menos longo processo gradual, a realização da igualdade total: a revolução, sem Revolução. A costela democrata-cristã condescendeu com este destino socialista projectado no longo prazo… e utópico. Mas, creio, subestimou o valor simbólico da promessa de uma sociedade sem classes.

A Social-Democracia viveu disto durante décadas. A tal ponto que acabou por se confundir com um regime em que o Estado democrático só era democrático se olhasse pelo povo como um pai olha pela sua família: férias pagas e subsídios de toda a ordem e feitio. A liberdade tornou-se (ou continuou?) secundária, até mesmo dispensável. Um Estado democrático era aquele que distribuísse mais dinheiro e prodigalizasse mais “serviços” e mais “direitos”. Muitos anos passados sobre a colaboração entre De Gasperi e Adenauer, este programa, originariamente um programa democrata-cristão, foi apropriado por uma nova esquerda anti-revolucionária, anti-violência e gradualista: a social-democracia, estabelecida depois da Segunda Guerra e largamente financiada pelo Plano Marshall dos EUA. Nos países do sul da Europa continuou a usar-se a roupagem ideológica socialista, mas, ontem como hoje, nada de verdadeiramente essencial separa os dois credos, o socialista e o social-democrata. Fátima Bonifácio, Público

Tenho sérias dúvidas quanto a esta tese de que a social-democracia está alicerçada na democracia cristã. Sérias dúvidas. Seriíssimas. Mas não podemos ir a todas, nem há tempo para ler e debater. 

4 comentários

Comentar post

Pesquisar

Comentários recentes

  • Anónimo

    Eremita: pensava eu que o link era para as cenas d...

  • Anónimo

    chapada neles

  • Anónimo

    José Sócrates Gonçalves Carvalho Pinto de Sousa, v...

  • Anónimo

    Sempre , sempre mas mais ao são Gonçalves .Nelson

  • Anónimo

    Nelsinho: já rezaste hoje ao São José, ou ainda nã...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D