Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

04
Jul12

Decálogos da planície


Eremita

Novas recolhas de lições da planície:

fb_Vco4EiHwsAQraKpbRmuB

 

 

Série IV

 

Uma adenda tem sempre algo de errata.

 

Ninguém inveja em abstracto. 

 

Que o beijo seja sempre uma retórica de último recurso.

 

Ainda podemos ser amigos de quem nos mentiu, mas nunca de quem julgamos que nos mentiria. 

 

A mulher nega o primado do poder no homem da mesma forma que o homem nega o primado da beleza na mulher.

 

A multidisciplinaridade é um conjunto de disciplinas distintas unidas pela ignorância recíproca.

 

Só não perde amigos quem não se interessa pelas amizades.

 

A vida por examinar não merece ser vivida e a vida por viver não merece ser examinada.

 

Amai entre depressões.

 

Só o tempo resolverá o que nem o tempo parece resolver. 

 

 

Série V

 

A solidão não acaba, complementa-se. 

 

Mais vale ressacar a bebedeira do que a estupidez.

 

Nunca cruzes a citação com a biografia. 

 

Serás novo até te morrer o último dos amigos mais velhos.

 

Viver só é mau quando se faz o balanço.

 

A nobreza é sensatez com risco para o próprio.

 

Como solução, o sexo é sempre um problema.

 

Também a naturalidade dos amantes é uma convenção social.

 

A depressão é a fúria de perder.

 

Envelhecer demora tarda muitos anos mas acontece num segundo.

 

 

Séries anteriores:

 

Série I

 

A pornografia começa por ser uma cábula da imaginação e depois passa a um antídoto da memória.

 

A honestidade absoluta só é uma virtude para os absolutamente virtuosos.

  

Não vale a pena matar um grande amor por uma amizade pequenina. E vice-versa. Mas é duro aprender as duas lições no mesmo dia, mesmo que - e necessariamente  - com pessoas diferentes.

 

Podemos amar quem connosco não partilha a língua nativa? Seguramente, mas trata-se de iliteracia.

 

Há mulheres com dias de atraso e mulheres que nos atrasam os dias.

 

Por causa da regra de um adulto ter sempre de honrar a promessa que fez a uma criança, quando alguém não cumpre uma promessa que fez a um adulto, este reage sempre como uma criança.

 

Se tens razão e pretendes acusar alguém na praça pública, é avisado só avançar se fores o primeiro e imperioso fazê-lo se pressentires que serás também o último.

 

Uma história de amor não se engrandece retroactivamente pela insistência no desgosto de amor.

 

O amor é o único desporto em que se perde por falta de comparência do adversário e em que contestar a decisão só agrava o goal average.  [Futeboliana]

 

Só evitarás os impostores se fores muito bom em algum domínio, pois eles serão ainda impostores nos domínios que desconheces.  [reformulada]

 

Série II

 

Damos conta do poder da palavra quando todas as outras não chegam para a corrigir.

 

A misoginia só se cura com outra mulher.

 

O dia de reflexão não deve ser levado demasiado à letra.

 

Interessa mais ser verdadeiro do que ter uma opinião sobre a verdade.

 

Tal como os pais não devem sobreviver aos filhos, também o desejo da paternidade não deve sobreviver ao desejo de amar. 

 

Podemos tirar a semana de trabalho do domingo, mas não podemos tirar o domingo de dentro de nós. 

 

A falta de sorte é o ópio dos medíocres.

 

Não há sensação mais patética do que um desgosto de amor que não se conquistou.

 

Na luta pela liberdade de expressão, idolatramos os mártires virtuosos e os heróis infames.

 

Há sempre mais misóginos a morrer do que a nascer.

 

Série III

 

As formules de politesse não servem para evitar os conflitos, mas para os resolver.

 

Já que não podes diminuir as adversidades da vida, corta nas adversativas da prosa.

 

Nunca duvides do amor se não fores umas das partes envolvidas.

 

Evita os activistas do activismo.

 

Nos compromissos, a precedência tem ascendente sobre a vontade.

 

Aprende a abandonar o teatro, se ao deixares o palco saíste de cena.

 

Não dês as chaves de casa antes de escancarares as portas.

 

Ama as feias, pois serás invejado sem cobiça.

 

A vontade de saber resulta da alegria íntima de aprender e da humilhação pública de errar.

 

Quanto mais consensual for a beleza de quem se ama, mais suspeito será esse amor.

Pesquisar

Comentários recentes

  • Anónimo

    Eremita, pá!, olha que o outro gajo que profetizo...

  • José Quintas

    Na expectativa do episódio seguinte, adorei a ress...

  • marina

    não consigo saber se a maria adelaide tem irmãos ,...

  • marina

    percebi, mas como disse que é dinheiro herdado não...

  • Anónimo

    Não esqueça e anda muita gente esquecida que quem ...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D