Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

03
Set19

A inteligência corrompida pela ideologia


Eremita

Helena Matos, como João Carlos Espada e outros cuja opinião ao longo da vida vai da extrema esquerda revolucionária à direita conservadora, compensam a inconstância do pensamento ao longo do tempo pela certeza momentânea. O movimento pela neurodiversidade, que pretende retirar o estigma de doença a certas manifestações neurológicas, é demasiado complexo para ser analisado por uma ideóloga e propagandista de segunda categoria como Helena Matos. Josef Schovanec, um autista, tem um pensamento infinitamente mais interessante do que a jornalista. E há inúmeros exemplos de autistas funcionais (tipicamente diagnosticados com a síndrome de Asperger de que sofre Greta Thunberg) com uma inteligência muito acima da média, o que lhes permite feitos incríveis. Especula-se há muito tempo que o excêntrico matemático Gregori Perelman, que provou a conjectura de Poincaré, tem Asperger, síndrome que também teria possivelmente afectado John Nash, o perturbado génio retratado no filme Uma Mente Brilhante. A capacidade mental de certos autistas é literalmente um "superpoder", sendo isto também um fardo, como qualquer criança que leia as histórias ou veja os filmes da Marvel sabe. Infelizmente, a nossa Helena já não entende nada, porque se vai afundando no pântano da ideologia. Enfim, para não ter de aturar conspiracionistas anti-alterações climáticas, esclareço que este post não é uma defesa de Greta Thunberg, nem em nenhum momento afirmo que a adolescente tem uma inteligência muito acima da média. Soa a idiotice, mas é uma ressalva à medida do mundo em que vivemos. 

 

 

02
Set19

A discussão sobre o amarelo não é estética, é ética


Eremita

Era uma vez um pintor que tinha um aquário com um peixe vermelho. Vivia o peixe tranquilamente acompanhado pela sua cor vermelha até que principiou a tornar-se negro a partir de dentro, um nó preto atrás da cor encarnada. O nó desenvolvia-se alastrando e tomando conta de todo o peixe. Por fora do aquário o pintor assistia surpreendido ao aparecimento do novo peixe.

O problema do artista era que, obrigado a interromper o quadro onde estava a chegar o vermelho do peixe, não sabia que fazer da cor preta que ele agora lhe ensinava. Os elementos do problema constituíam-se na observação dos factos e punham-se por esta ordem: peixe, vermelho, pintor — sendo o vermelho o nexo entre o peixe e o quadro através do pintor. O preto formava a insídia do real e abria um abismo na primitiva fidelidade do pintor.

Ao meditar sobre as razões da mudança exactamente quando assentava na sua fidelidade, o pintor supôs que o peixe, efectuando um número de mágica, mostrava que existia apenas uma lei abrangendo tanto o mundo das coisas como o da imaginação. Era a lei da metamorfose.

Compreendida esta espécie de fidelidade, o artista pintou um peixe amarelo. Teoria das Cores, in "Os Passos em Volta", Herberto Helder, ed. Assírio & Alvim)

02
Set19

Sobre os transgéneros


Eremita

bowie_photo_collage.jpg

fonte

Escrevi um texto que ficou ligeiramente maior do que estava à espera. Em vez dos típicos três mil caracteres de uma croniqueta ou dos 12 mil de um texto a que hoje já se vai chamando "long read", ficou com quase 29 mil, o que em tamanho 14 e a dois espaços daria quase para um livrinho cheio de fotos de travestis, gente andrógina e até o peixinho Nemo. Isto sou eu em plena exibição estática de sapiência, porque não me excluo do mundo que analiso. Enfim, se o texto não entrar em nenhum jornal online, no fim da semana coloco-o aqui. Em minha defesa, posso adiantar que tem bons links

01
Set19

Dedicado aos fundamentalistas das frases curtas


Eremita

Lenz tells how once in the Back Bay on Boylston outside Bonwit's a pushy prosthesis-vendor gave him a hard time about a glass-eye item of jewelry and got his issues' juices flowing and then down the prosthesis-vendor line another vendor simply would not take No of any sort about a bottle of A.D.A.-Approved Xero-Lube Saliva Substitute with a confabulated celeb- endorsement from J. Gentle F. Crooner on it and Lenz utilized akido to break the man's nose with one blow and then drive the bone's shards and fragments up into the vendor's brain with the follow-up heel of his hand (1), a maneuver known by a secret ancient Chinese term meaning The Old One-Two, eliminating the saliva guy's map on the spot, so that Lenz had learned about the lethality of his whatever-was-beyond-black belt in akido and his hands' deadliness as weapons when his issues were provoked and tells Green how he'd taken a solemn vow right there, running like hell down Boylston for the Auditorium T-Stop to evade prosecution, vowed never to use his lethally adept akido skills except in the most compulsory situation of defending the innocent and/or weak. DFW, Infinite Jest

(1) "Can a person really strike someone in a way that will drive the nose bone into the brain? I hear this one all the time, so let’s start with the short answer: No".

01
Set19

Speed reading


Eremita

Speed-Reading-Exercises.jpg

fonte

"... agora, pela madrugada, lidas atentamente as suas 430 páginas, em cerca de quatro horas..." O embaixador

Entre nós, as exibições de sapiência são geralmente de tipo estático. Refiro-me ao número de livros que temos na biblioteca, algo que os pesos-pesados da cultura gostam de quantificar em termos de  "metros lineares" de lombadas. O embaixador Seixas da Costa, que costuma ser previsível, desta vez deixou-me perplexo com uma exibição de sapiência de tipo dinâmico. Quem consegue ler 430 páginas em quatro horas? Toda a gente, provavelmente, porque corresponde a menos de duas páginas por minuto, admitindo uma concentração absoluta. Fica também por esclarecer se se trata de um daqueles livros com letra tamanho 14, texto a dois espaços e abundantemente ilustrado, para aquele mercado que compra a peso. Mas não deixa de ser um feito despachar 430 páginas em quatro horas e perorar sobre o que se leu. Lembra-me uma tirada do Woody Allen: "I took a speed-reading course and read War and Peace in twenty minutes. It involves Russia".

Pág. 4/4

Pesquisar

Comentários recentes

  • José Quintas

    Nenhuma dúvida sobre o inspirado solo e adjacentes...

  • Anónimo

    ;-)

  • Anónimo

    O Caramelo está ocupado com o clube de fãs do Rui ...

  • Anónimo

    Vá, Caramelo.Da série “Grandes títulos da imprensa...

  • Anónimo

    Estás? Então foi amor à primeira vista, é que esta...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D