Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

31
Mai10

Um génio


Eremita

Esta é a primeira aparição - o termo correcto - de Paco de Lucia na BBC. A uma interpretação perfeita, a BBC responde trocando o nome do tema. Não surpreende que os ingleses tivessem perdido o império, o que surpreende é esse império ter durado tanto tempo. Também não deixei de reparar que Paco era um homem muito sensual nos anos 70.
30
Mai10

Dennis Hopper


Eremita

Sempre me pareceu infinitamente mais interessante como indivíduo do que como actor. Hopper não sabia representar, mas creio que soube viver. Até ontem. E agora? Se houvesse uma estatística para a esperança de fama eterna no momento da morte, como existe a esperança de vida à nascença, a de Hopper seria muito baixa. Enfim, quem se lembra hoje de Augusto Abelaira, que até foi melhor escritor do que Hopper foi actor?

30
Mai10

Envidia sana


Eremita

 

O nome é bom e adequado, embora muito pouco original, bastando pensar na esquecida e provavelmente melhor canção de Sérgio Godinho, em que nenhuma banda pega, embora se toque com apenas dois acordes. Mas estamos na presença do melhor template de sempre e acreditem que já levo uns anos disto. A harmonia estética de Horas Extraordinárias faz-me corar de vergonha quando penso no meu primeiro blogue, que era praticamente horrível, com chumaços nos ombros à anos oitenta. É verdade que estávamos no princípio e todos os arranques se prestam a experiências estéticas falhadas. Naturalmente, percebe-se logo que o template de Horas Extraordinárias é intemporal, como a Audrey Hepburn, mas só lhe resta futuro, pois há 6 anos o seu aprumo estético teria sido impossível. Isto também prova que estamos todos um pouco mais velhos. Quando passo os olhos pelo Horas Extraordinárias, sinto-me como algumas personagens de Beauté Volée e nenhuma foi representada por Liv Tyler.
29
Mai10

Magistérios não sobreponíveis


Eremita

 

O livro de estilo do Ouriquense dita que não se perturbe o leitor levianamente e obriga-me, por isso, a fazer uma contextualização prévia, ainda que seja improvável que exista algum rapaz aí desse lado. Tal como os objects in mirror are closer than they appear (que título, meu Deus!), também a distância a que o objecto se encontra cria uma ilusão óptica, não sendo válida a comparação do tamanho de dois objectos em planos distintos. Não se use pois a garrafa de vinho como unidade de medida. Em todo o caso, aqueles falos são grandes.

 

Nada me move contra a pastelaria e a doçaria (até a conventual) de inspiração erótica, que tem uma longa tradição no nosso país. De resto, quando noutras vidas e geografias, numa blind date, a rapariga pediu um banana split fellatio em que as bolas de gelo (baunilha e morango, creio) dialogavam geometricamente com o fruto da forma que me escuso de elucidar, senti que havia deixado Isilda Pegado sozinha na cruzada contra o pirilau de chocolate - a minha luta seria apenas por uma percentagem de cacau superior a 80%, o que não me parece ser o caso dos objectos em apreço, mas não é por isso que vou lançar uma petição. Feito este esclarecimento, confesso-me chocado. Porquê? Porque a fotografia foi tirada na última Feira do Livro de Lisboa.

Estou-me marimbando para as criancinhas que os pais levam à Feira. O que me preocupa é o adolescente macho. Um rapaz passa por crises existenciais e nós sabemos que são essencialmente duas: quem sou? e será que tenho uma pila pequena? A cabeça de um homem em formação oscila entre estes dois pólos. Num minuto ele quer abraçar todo o Universo, da profundeza insondável do inconsciente às galáxias a anos-luz, e no minuto seguinte apenas lhe pede mais 3, 2, 1 centímetro que seja. É deste confronto que nasce uma personalidade com as ferramentas emocionais necessárias à vida em sociedade. Ora, para que isto continue a funcionar, convém preservar a demarcação de territórios. A Feira do Livro serve para alimentar a primeira angústia; a pornografia serve para alimentar a segunda. A um jovem não faz bem ver o actor porno lendo O mito de Sísifo depois de ter penetrado duas mulheres; é uma imagem confusa. Mutatis mutandis, falos de chocolate sobredimensionados numa feira do livro também confundem. Gente de Lisboa, vejam se percebem isto: a Camus o que é de Camus e a John Holmes o que é de John Holmes, se me permitem as referências datadas.
28
Mai10

Quantas sessões de psicanálise terá havido até hoje em Ourique?


Eremita

A bipolaridade é um teste à paciência das pessoas que convivem com o doente, mas sobretudo um teste ao carácter deste*. Um bipolar decente, quando volta a aterrar na pista da normalidade, tenta sempre consertar a merda que fez durante as suas manobras arriscadas pelo ar. Um bipolar indecente apenas esquece esses momentos. Daqui se conclui que a tendência crescente para descrever personalidades segundo quadros clínicos não é um caminho para a relativização moral, mas apenas uma forma de sermos mais justos nas apreciações que fazemos dos outros.

 

* Este texto tinha um erro gramatical que lhe mudava o sentido e que não batia certo com o que vinha a seguir (tinha escrito "mas sobretudo um teste ao seu [o das pessoas que convivem com o doente] carácter".

27
Mai10

Escalada


Eremita

 

 

 

Tenho evitado relatar aqui algumas das conversas com o Judeu. Em rigor, são quase todas as conversas que temos. A hostilidade só vem crescendo. O Judeu despreza-me e eu não consigo respeitar alguém cujo objectivo de vida é inventar uma máquina que sabe ser uma impossibilidade física. Esta estilização da vida parece-me absurda, quase imoral. Talvez a sua animosidade seja apenas uma reacção ao que penso dele, que deve ter transparecido de muito antes do momento em que a verbalizei num estado de grande exaltação (foi há uns dias). Não deixámos de nos ver, antes parece que precisamos de nos agredir mutuamente. Ainda ontem, quando regressávamos do cineblube onde assistimos ao  Wonder Boys (ciclo "Filho de Kirk Douglas", na fórmula do rapaz), ele não resistiu:

 

- Esta personagem interpretada pelo Michael Douglas tem algumas parecenças contigo.

- A sério?

- A tensão do acto de criar. Como é aquela tirada no Interiors, do Allen...

- "She has all the anguish and anxiety of the artistic personality... without any of the talent".

- Esse teu sotaque...

- Mas achas mesmo?

- Bem, ele publicou um bestseller e tu não publicaste nada.

- ...

- E agora que penso nisso, o bloqueio deu-lhe para uma verborreia de escrita e tu nem 10 páginas de um manuscrito tens.

- ...

- Mas reconheço alguns paralelos. És parecido com o que ele tem de pior, digamos.

27
Mai10

Martin and Hitch


Eremita

 

Screen Shot 2019-05-03 at 22.33.09.png

O anti-semitismo como neurose ou psicose, Israel, Saul Bellow, uma linda namorada judia por altura dos 17 anos, . Só coisinhas boas. Ouvi a (pub) conversa com o Judeu, que no fim desabafou: "o filo-semitismo é um impulso primário, mas o teu chega a ser patético".

26
Mai10

O condutor não tem culpa


Eremita

Se a alguém for dada uma boleia e essa pessoa ficar a gostar tanto do carro que se recusa a sair quando chegam ao destino acordado, é evidente que estamos perante um abuso. Com as relações passa-se o mesmo, mas a inerente complexidade oculta o que é muito simples: o condutor não tem culpa e quem ia à boleia deve-lhe inclusive um agradecimento.

Pág. 1/6

Pesquisar

Pub e serviços

Screen Shot 2019-04-07 at 17.13.03.png

”Screen

Comentários recentes

  • Anónimo

    Não percebo nada disto.

  • Anónimo

    Ah, só para unir as pontas. Depois disto é que sur...

  • Anónimo

    olha o escroque que dá pelo nome entre outros "rfc...

  • Anónimo

    Ó Eremita, pá, alegra-te também que tu que, afinal...

  • Anónimo

    Valupi, larga o vinho!XXX diz:Setembro 12, 2019 às...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D