Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

04
Nov09

Neotenia


Eremita

 

Há prosa muito assente na redundância, em que a mesma ideia está sempre a reaparecer, como se o texto fosse a espuma de uma onda e o argumento uma cabaça por ela levada. São textos gordos, que na mão de um editor de raciocínio lógico-dedutivo ficariam reduzidos a metade, mas podem ser muito eficazes. Tendem a resultar melhor como panfletos lidos para massas do que consumidos a sós e em silêncio, embora haja quem produza material que sobrevive bem a ambos os contextos.  Em tempos fui capaz de escrever desta forma, só que tal competência tende a perder-se com a idade, a menos que o vulgar incremento no cinismo  seja acompanhado por um incremento na demagogia, ou que a inocência não se perca. Este último caso pode descrever-se como uma neotenia literária, isto é, como a manifestação de uma escrita infantil ou juvenil no estilo amadurecido. A neotenia é um fenómeno recorrente na evolução das espécies (o crânio do homem adulto é mais parecido com o do chimpanzé juvenil do que com o do chimpanzé adulto), mas o exemplo que melhor ilustra o poder desta transformação são os castratti, que eram casos de neotenia induzida artificialmente. Para prevenir tragédias, o adolescente de voz ainda infantil com aspirações literárias deve ter presente que as extraordinárias capacidades dos castratti eram exclusivamente vocais; não há estrutura anatómica que esteja para o escritor como o saco escrotal está para o cantor. Por outro lado, este estilo a que me refiro é estatisticamente feminino, creio. Alguém assim caracterizou o Beloved, de Toni Morrison, e eu conheço casos nacionais, mas não vou citar nomes.

2 comentários

Comentar post

Pesquisar

Pub e serviços

Screen Shot 2019-04-07 at 17.13.03.png

”Screen

Comentários recentes

  • caramelo

    Blablá sarabanda alucinante bláblá geração perdida...

  • caramelo

    Eremita, o presidente da CCDR é um gestor público....

  • Maria

    O costume. Tentam a ver se passa. É incrivel o d...

  • Margarida

    Um caso estranho...

  • Eremita

    O Zink está no Twitter? Sinto-me fora do mundo.

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D