Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OURIQ

Um diário trasladado

OURIQ

Um diário trasladado

02
Nov09

Cachapa e as virtudes dos subsídios estatais


Eremita

Sem pretender chocar os escravos do cânone ocidental, declaro ler prosa de escritores portugueses contemporâneos que não vivem no Conde Redondo nem em Lanzarote. É raro acabar um livro, mas trata-se de um problema que também tenho com o cânone. Talvez por isso, ter concluído o A Materna Doçura, do Cachapa, é significativo. Com a autoridade conferida pela minha muito incompleta e apressada amostragem da nova prosa lusitana, declaro que o A Materna Doçura é o melhor livro português dos últimos anos, uma síntese feliz da racionalidade destituída de vida de Gonçalo M. Tavares (dele só li alguns textos curtos) com o sentimentalismo acéfalo de Inês Pedrosa (dela só li o título de Fazes-me falta e algumas crónicas). A ideia que percorre o Materna doçura é tão boa, mas tão boa, que é uma pena ninguém ter aconselhado o seu autor a orientar a carreira para revisões sucessivas desta sua obra (há algumas arestas a limar). Talvez assim se tivesse evitado um livro com um título estranhíssimo (Segura-te ao  meu peito em chamas) e outro  (Rio da Glória) que dizem ser uma crítica a uma certa escritora light fornecida num pacote que inclui uma viagem ao Brasil. É trágico mas bate certo. Creio que o A Materna Doçura foi escrito quando Cachapa era bolseiro. Anos depois de a bolsa acabar, Rio da Glória parece ser vítima de um raciocínio economicista primário: piscar os olhos ao maior mercado lusófono e parasitar o estilo que mais vende. Naturalmente, só podia sair merda. 

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Pesquisar

Comentários recentes

  • Maria

    Um grande jogador!

  • caramelo

    O meu preferido é o Babbit, mas também gosto do Ar...

  • caramelo

    A sério que tenho competência na política das caus...

  • Anónimo

    Vénia!

  • Anónimo

    Os textos do Bloom não são sobre literatura? Ó Car...

Links

WEEKLY DIGESTS

BLOGS

REVISTAS LITERÁRIAS [port]

REVISTAS LITERÁRIAS [estrangeiras]

GUITARRA

CULTURA

SERVIÇOS OURIQ

SÉRIES 2019-

IMPRENSA ALENTEJANA

JUDIARIA

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D