Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ouriquense

11
Dez15

Tribo

Eremita

O início de Comunidade, o famoso texto de Luiz Pacheco, aqui num magnífico pdf gratuito com ilustrações de Cruzeiro Seixas, deixa uma impressão forte e duradoura. Não tenho pachorra para o culto das frases de abertura, por faltar a uma frase a complexidade necessária que elimine a dúvida de que a alegada qualidade não seja fruto de acasos ou caprichos, de quem a escreveu ou de quem a propagandeia, e também me parecer que serve sobretudo para alimentar vaidades de salão entre gente sem capacidades de memorização extraordinárias. "Todas as famílias feliz...", poupem-me. "Chamem-me Ism...", basta! Mas um arranque memorável, feito de umas quantas primeiras páginas, apenas a primeira página ou até simplesmente um gordo parágrafo inicial, nenhuma infinidade de macacos a martelar teclados conseguiria reproduzir e a dificuldade de memorização de tais trechos de prosa para o leitor comum protege-os da citação fácil e ilegítima. Vivas ainda para os arranques de Para Sempre, de Vergílio Ferreira, O Que Diz Molero, de Dinis Machado, A Jangada de Pedra, de Saramago ou O Homem sem Qualidades, de Musil, cadências e imagens que ficaram comigo, impossíveis de reproduzir num exercício de memória, mas reconhecíveis como os cheiros das nossas vidas. Poderia lembrar outras e cada um terá as suas, naturalmente.

 

Da frase, "Eu debato-me contra a morte e escrevo diante da minha pequena tribo que dorme" (Comunidade), retiro apenas a palavra "tribo". Não me debaterei contra a morte, seria de uma presunção ridícula, embora alimente a esperança narcísica de que as minhas filhas lerão o que escrevi sobre elas já depois de as ter deixado.  Debato-me - e muito - com o tom a empregar, as regras que devo anunciar de antemão para evitar aborrecimentos e preservar a liberdade na escrita. Mas não tenho ilusões. Não serei o Karl Ove Knausgård do Baixo-Alentejo, pois farei as concessões necessárias para não expor a intimidade da minha família. Ainda assim, preciso de regras explícitas:

 

1. Não haverá fotografias, nem sequer aquelas que apenas mostram pezinhos.  

2. Não haverá caixa de comentários, nem responderei a qualquer pergunta que conhecidos (incluindo a família) ou estranhos me coloquem sobre o que vou escrevendo nesta série. 

3. A série obedece ao princípio da trasladação que rege o Ouriquense, a saber, a família vive em Ourique, apesar de vivermos noutro lugar. 

 

O risco é grande, mas acumulo demasiados posts na cabeça. 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Guitarra

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D