Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ouriquense

12
Nov16

Necrológio: note to self

Eremita

Leonard Cohen 1974.jpg

Quando morre alguém que todos admiram menos tu, deves calar-te. Haverá sempre outro melhor e mais justo a morrer nesse mesmo dia, mas nunca instruas os vivos sobre que morte devem chorar. Serias inconveniente e dir-te-iam que és uma besta. Convenhamos que serias mesmo uma besta. Não devemos inquinar a expressão dos bons sentimentos alheios, que são tão raros. Repara: quando morre uma celebridade unanimemente admirada, as pessoas explodem de empatia e parece que se tocam por instantes, como os raios geotrópicos de dois fogos de artifício próximos e síncrones. Não sejas cínico. Não, o choro colectivo por um morto não é apenas a derrareira recompensa de um longo investimento emocional, um sell! sell! de uma marca em acentuada queda bolsista. Até a mais egocêntrica das criaturas te daria a impressão de que as suas preocupações não acabam no seu umbigo, se lesses ou escutasses até ao fim o que disse sobre a relevância da celebridade na sua vida. Em mais nenhum outro momento essa pessoa terá a ocasião de se transcender e, só por isso, a celebridade que desprezas, por lhe faltar talento ou não te parecer sincera, cumpriu uma função. Admite então que este é um problema teu, que deves gerir em silêncio. Naturalmente, podes pedir a Deus, ou fazer figas, para que no dia da tua morte não morra uma celebridade que desprezas. Esse é um anseio tão legítimo e natural como não querer ser morto por uma bala perdida de uma rixa absurda. Quanto ao resto, cala-te. 

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Guitarra

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D