Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ouriquense

23
Ago16

IKEA blues

Eremita

[Revisto e aumentado a 29.8.16]

Depois de uma tarde a montar mobiliário da IKEA, voltou uma obsessão velha conhecida: a de construir uma história em torno desta empresa. Pela ubiquidade e peculiaridades da marca, de todos os planos para livros que vou tendo, este seria o mais capaz de atingir o sucesso comercial de que a minha família necessita. Ideias avulsas: 1) talvez abrir com um decalque do relato que Eça faz do Ramalhete, mas em que a casa é um apartamento de classe média totalmente mobilado com móveis da IKEA; progressivamente, o relato começaria a abdicar da descrição pormenorizada dos móveis e a usar os seus nomes emblemáticos ("Billy", "Besta", etc.), numa profusão tal que o leitor teria de recorrer a um catálogo da marca para poder apreender o espaço descrito; 2) incluir nas personagens um homem frustrado por não se conseguir libertar dos móveis IKEA, que montou com entusiasmo ao 24 anos, com alguma indiferença aos 35, algo cansado e aborrecido aos 45 e, desde então, melancólico, desesperado ou enraivecido, menos pelo esforço físico do que pela comprovação do seu imobilismo social, que não lhe permitiu nunca comprar móveis de antiquário, móveis nórdicos mas vintage e de madeira maçica, móveis que seriam estimados, restaurados e figurariam na lista das partilhas; 3) um ex-designer da IKEA, inventor da cómoda modelo MALM associada à morte de três crianças, que se mudou da Suécia para Ourique, tentando fugir da sua consciência; 4) um sem-abrigo, que todos os dias ludibria a segurança e chega a permanecer durante meses no IKEA de Alfragide, que passa a ser o seu ecossistema, pernoitando nas camas e sofás dos expositores e ocupando os dias com estratagemas para amealhar umas moedas ou furtar uns frascos de arenque temperado com mostarda e aneto. 5) uma sociedade civil anémica, que ignora uma petição para impedir a instalação de um IKEA em Paços de Ferreira, a "capital do móvel", levando o seu autor a ponderar um acto terrorista em defesa da identidade nacional; 6) algo sobre o amor, o sexo e modelos de cama IKEA, apenas para reforçar o sucesso comercial; etc. 

 

1 comentário

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Guitarra

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D