Terça-feira, 24 de Março de 2009
Terça-feira, 24 de Março, 2009

 

No Sábado passado noite assistimos a Man on Wire, um documentário sobre o funâmbulo que caminhou entre as duas torres gémeas, a centenas de metros do chão. Philippe Petit, o funâmbulo, fala sobre si próprio com um entusiasmo tal que as suas proezas são menos uma demonstração de coragem do que uma prova de egocentrismo. É essa a grande pecha do filme. Preferíamos ter visto um poeta, um louco ou um sonhador. 

 

No fim do documentário discutiu-se a possibilidade de piratearmos o filme Che, que acaba de estrear em Lisboa. Pela primeira vez, ouviram-se insultos na sala. Não há "lei Barreto" que suture a ferida profunda da reforma agrária. Mas tinha razão a ala reaccionária, representada por duas raparigas ouriquenses muito bem apessoadas, que só aparecem por aqui aos fins-de-semana e transportam a aura irresistível da aristocracia decadente, o que transforma a tensão erótica que por elas sinto numa dupla traição - à minha paixão por Tatiana e à sua condição operária. Diziam estas jovens mulheres que Che foi um assassino, responsável por fuzilamentos sumários. É verdade. Aliás, Che continua a assassinar pessoas, de que é exemplo o  recente  fuzilamento de Benecio del Toro. O meu argumento, que colheu algum apoio, foi o de que é importante avaliar o grau de hagiografia do filme de Soderbergh em primeira mão. Ainda assim, uma das belas ouriquenses cosmopolitas lançou-me um esgar à Isabel Moreira e rematou entre dentes (disseram-me depois): "ainda bem que seu avô não o pode ouvir..."  Pelos vistos sabe quem sou, embora eu não reconheça estas mulheres no meu passado. Esta curiosidade  deixa-me levemente deprimido. E a subtil excitação ainda mais. Queria-me imune a qualquer outra mulher que não a Tatiana e estas duas têm um evidente potencial caprino. Concluo que já devia ter tombado Tatiana numa seara.


tags:

Eremita às 13:56
# | comentar

2 comentários:
De Dud a 28 de Março de 2009 às 01:16
Por mais reaccionária que seja ( asumo) imagino a cena literalmente caprina das " bem apessoadas e cultas ouriquenses" não conhenho o riso : o Che a assassinar pessoas... ehehehe!


De Dorean Paxorales a 29 de Março de 2009 às 15:27
"Pelos vistos sabe quem sou, embora eu não reconheça estas mulheres no meu passado."

É estranho e reconfortante.


Comentar post

.pesquisar neste blog
 
.Março 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
14
15
17

22

26
28
29
30
31


.posts recentes

. Provavelmente uma mulher

. A imaginação catastrofist...

. Homens que lêem Agustina

. O podcast da semana

. Marcação homem a homem

.arquivos
.tags

. todas as tags

.links
.subscrever feeds