Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ouriquense

15
Jun12

Contributos para Menezes & Menezes

Eremita

[actualização permanente com carácter de urgência]

 

 

Aconteceu em Ourique, mas sem subsídio da autarquia, a pedrada no charco cujos círculos concêntricos se propagam já no liso plano do meio cultural português. Ignorados pelos media, nem por isso nos calaram: ontem [13.06.2012] chegámos ontem a Vila Real de Santo António, a Aljezur e Barrancos, hoje contamos varrer Lisboa, amanhã estaremos em Gaia, minutos depois no Porto e antes do fim do mês alcançaremos Timor, vindo dos dois lados, para não excluir os compatriotas desterrados na Mongólia ou em Honolulu. Unidos e virulentos, com a resiliência dos que amam e a esperança de quem já venceu um braço de ferro com a administração pública, conseguiremos alterar o infame título da tradução de Infinite Jest.

 

Contamos já com algumas alternativas, que pingam em Ourique ao ritmo das chamadas telefónicas de um telethon em horário nobre. Junta-te a nós no esforço de encontrar alternativas ao péssimo título que não mais será aqui escrito, para que possamos pressionar os tradutores de Infinite Jest antes que as rotativas tenham para sempre manchado a estreia de David Foster Wallace na lusofonia. 

 

Cada novo contributo será adicionado a esta lista, que contamos enviar aos tradutores de Infinite Jest e à Quetzal no dia 4 de Julho. 

 

Bobagem sem Fim Rogério Casanova, que entretanto esclareceu tratar-se de uma sugestão irónica.

A Graça Infinita Eremita

O Dichote Infinito Anão Gigante

O Chiste Sem Fim Anão Gigante

O Eterno Deleite Judeu

Brincadeira Infinita Sérgio Lavos

Brincadeira Sem Fim Sérgio Lavos

 

Vício Infindo Rapaz do Cineclube

Infinitamente Cômico Dulce Silva

Um Riso Sem Fim Dulce Silva

A Sorrir Eternamente Dulce Silva

Eternamente a Sorrir Dulce Silva

Um Eterno Riso Dulce Silva

Uma Eterna Laracha Dulce Silva

A Pilhéria Infinita Dulce Silva

Loooooool Dulce Silva

Infinita Pilhéria Tinoco
Infinita Galhofa Tinoco
Infinita Chacota Tinoco
Infinito escárnio Pirata-Vermelho
Um escárnio sem fim Pirata-Vermelho
A infinita borga Beach

 

Alguns comentadores sugeriram que o melhor seria ter como ponto de partida uma boa tradução de Hamlet, pois "Infinite Jest" é retirado da descrição que Hamlet faz de Yorick, o homem que em tempos habitou a famosa caveira: "...I knew him, Horatio: a fellow of infinite jest, of most excellent fancy..." Tenho sérias dúvidas sobre o valor intrínseco deste exercício, mas como qualquer alternativa é superior à tradução que não mais mencionarei e este nosso projecto está ferido de morte, visto nos faltar autoridade, a sugestão acaba por não ser má. Acresce que esta informação faz de "Bobagem Infinita", a sugestão de Rogério Casanova que o próprio aparentemente já renegou, uma das melhores, se a colagem à fonte original for relevante, pois Yorick era o bobo do rei.  Enfim, alguém sabe como esta passagem foi vertida nas traduções de referência? Abri uns tupperwares, só que da vez em que estive mais perto a tradução de Álvaro Cunhal era do Rei Lear. E online, o que encontrei foi isto:

 

#1 Conheci-o, Horácio; um sujeito de chistes inesgotáveis e de uma fantasia soberba.

 

#2 Eu conheci-o, Horácio... Era um homem grandemente gracioso, dotado da mais fecunda imaginação. 

 

#3 Eu o conhecia[,] Horácio: um camarada de infinita espirituosidade, de mui excelente imaginação.

 

#4 Conheci-o, Horácio, era uma mina inexg[s]otável de ditos engraçados; tinha uma imaginação viva e fecunda!

 






14 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Guitarra

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D