Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ouriquense

28
Abr10

Mentir no barbeiro

Eremita

The real history of consciousness starts with one's first lie.

Joseph Brodsky


Quando disse ao barbeiro para me deixar o cabelo com volume atrás, não pensei que me fosse pedir uma justificação, só que findo o trabalho ele perguntou-me: "é para disfarçar a achatada?". Não era, mas menti e daí veio algum conforto moral. Talvez a vaidade me tivesse legitimado a gozar uma retaliação. Ou ajustei o valor das palavras a um lugar onde se trabalha para a aparência. Ou então corriam na cabeça outros pensamentos e quis protegê-los, dando a resposta que me poupava o discurso. Melhor, só mesmo uma interjeição dúbia, um "hum" que teria deixado tudo em aberto, inclusive a possibilidade de que era mesmo para disfarçar a achatada e que aquele homem, do hábito de inspeccionar tantas cabeças por fora, era quem conhecia a minha cabeça por dentro.

 

Mentiras e corporações (série em período experimental). Coming up: mentir no psiquiatra, mentir ao agente imobiliário, mentir à autoridade, mentir ao cozinheiro, mentir à stripper, mentir às testemunhas de Jeová.

28
Abr10

...

Eremita
Se te apreendessem minhas mãos, forma do vento
na cevada pura, de ti viriam cheias
minhas mãos sem nada. Se uma vida dormisses
em minha espuma,
que frescura indecisa ficaria no meu sorriso?
- No entanto és tu que te moverás na matéria
da minha boca, e serás uma árvore
dormindo e acordando onde existe o meu sangue. 
H. H.
27
Abr10

Homeostasia

Eremita
É embaraçoso ser desautorizado pelo corpo (afirmação pré-sintética de grau 2). Para um homem, a situação mais dramática é a impotência ocasional (que se distingue da impotência patológica). Logo a seguir, talvez até ex aequo, vem o adormecer durante um episódio de Mandrake. E há ainda a situação mista, que é adormecer nos preliminares para o acto sexual, o que me foi relatado de viva voz por um amigo, no tempo em que ainda convivia - tratava-se de um lisboeta, obviamente.
O corpo tem uma sapiência a que a mente só chega muitos dias depois. Os fisiologistas chamam-lhe "homeostasia", mas é um nome complicado para "bom senso". De resto, "senso" vem do latim "sensus", que significa "órgão do sentido, faculdade de sentir" e "bom senso" é o "equilíbrio nas decisões", o que remete para "stásis" (grego). Enfim, preciso de impor uma quota máxima diária de 1 hora de televisão (incluindo intervalos para publicidade, mas acrescida de um bónus de 15 minutos sempre que estiver no ar o pastoso do Mário Crespo), caso contrário nunca mais chego aos russos.
26
Abr10

Pico maníaco

Eremita

Estamos também a trabalhar no guião do Ouriquense. Pensamos extrair daqui vários produtos culturais, a saber:

 

Ouriquense, o romance [título provisório: Vim de Bicicleta e Levou-me o Vento]

Ouriquense, Aforismos

Ouriquense, Making of

Ouriquense, O álbum [guitarra e voz, com a participação do Grupo Coral de Ourique]

Ouriquense, Geodésicas (contos)

Ouriquense, Alegorias e misticismos (mini-contos)

Ouriquense, Um tributo a John Coplans

Ouriquense, Viajar de Cabeça [Livro de viagens inventadas]

Ouriquense, 100 rostos e um nariz para Tatiana [projecto a realizar com a participação de um técnico da polícia judiciária especializado no retrato-rôbo e o respectivo software]

Ouriquense, Textos de Intervenção [título provisório: A Defesa dos Touros de Morte e Outras Causas Moribundas]

Ouriquense, O filme.

 

A isto se seguirá:

 

Ouriquense, o livro (II) [título provisório: Regressado das Cinzas]

Ouriquense, aforismos (II)

Ouriquense, o álbum (II)

Ouriquense, o filme (II)

Ouriquense, As implicações legais [admitindo que Ricardo Chibanga nos processa].

 

"E assim sucessivamente..."

26
Abr10

A máquina do movimento perpétuo

Eremita

 

Progress report


 

 

 

 

Resultados de 3 de Outubro de 2009 (de madrugada e pela calada)

 

Largado sem impulso de um ângulo de 60º, o baloiço demorou 1 minuto e 42 segundos a imobilizar-se. Quando lubrificado com o óleo do inventor [amostra A15], demorou 4 minutos e 10 segundos. O inventor ficou satisfeito com o resultado e disse-me que conseguirá chegar aos 10 minutos ainda antes do Natal. Entendi não o informar que, na minha cabeça, aquele baloiço ainda não se imobilizou e que entretanto passaram mais de 30 anos.

 

Resultados de 26 de Abril de 2010 (de madrugada e pela calada)

 

Largado sem impulso de um ângulo de 60º, o baloiço demorou 1 minuto e 44 segundos a imobilizar-se. Quando lubrificado com o óleo A34 do judeu (o inventor), demorou 7 minutos e 23 segundos. O judeu ficou satisfeito com o resultado e disse-me que conseguirá chegar aos 10 minutos ainda antes do Natal. Entendi que seria pouco delicado perguntar-lhe se ele se referia ao Natal de 2010.


25
Abr10

Onde estávamos no 25 de Abril de 1974

Eremita

 

 

 

Em Kiev, Tatiana destruía a caixa de música que recebera dias antes pelos seus 3 anos.

 

Levado pelos braços de um tio e chorando muito, Igor tomava o seu primeiro banho no Mar Negro, onde viria depois a ganhar a impressionante envergadura de albatroz.

 

O rapaz do cineclube não era nascido. O seu pai estava em trânsito para Amsterdão, onde ia finalmente vender os diamantes que trouxera de Angola dentro das solas das botas de tropa. Ao seu lado ia uma mulher, mas o rapaz é um dos raros filhos de mãe incógnita com pai conhecido, situação que explicaremos em ocasião oportuna.

 

O moço de recados não era nascido e nada sabemos sobre os seus progenitores.

 

Num tentadero perto da Golegã, Ricardo Chibanga toureou umas vacas de manhã e de tarde praticou as bandarilhas.

 

A libertina de Lisboa #1 viu a revolução filtrada por cortinas diáfanas corridas, que impediam a populaça de apreciar os tectos estucados do belo apartamento. Também a família da libertina de Lisboa #2 acusava alguma inquietação e a birra da menina foi interrompida com um tabefe de sua mãe, que depois ficou muito transtornada, pois geralmente era a empregada que lidava com a criança.

 

O judeu lia. Entre 1969 e 1997, o judeu passou a maior parte do seu tempo acordado a ler. Naquele dia, lia A Cidade e as Serras e só percebeu o que se estava a passar lá para 27 de Abril.

 

Por causa do casamento de N., Honório tinha começado a beber no ano anterior e passou o dia na taberna do Mira, seguindo com o olhar, de cima para baixo e de novo para cima, o colar de pérolas que descia do pescoço e se encarreirava no fundo rego de uma moça sadia.  Era o único dos calendários de parede que estava aberto no mês de Abril, mas não é certo que o ano fosse 1974.

 

Emília andava nas lides da casa.

 

Foi um dia que não mais se repetiria. Bem vistas as coisas, todos os dias são assim.

24
Abr10

Um senhor

Eremita

Ando a ver muita televisão. Quem sofre é a leitura e a TVI. Não direi que o grande momento de televisão dos últimos dias foi a entrevista de Herman José a Judite de Sousa, porque o génio de um espectador de televisão é directamente proporcional ao grau de detalhe da informação que partilha (Sena Martins, 2010). O grande momento foi a resposta de Herman quando Judite, a fazer-se de culta, força um reparo. Para frisar o seu espírito cartesiano, Herman dizia que se devia chamar "Herman Descartes José". Perante isto, a tonta da entrevistadora diz que o primeiro nome de Descartes era "René". Qualquer ser humano menos experiente em televisão e mais pequenino do que Herman se teria apressado a explicar o equívoco de Judite, mas o humorista demorou apenas uma fracção de segundo a concluir que não valia a pena, que seria má televisão e desagradável para a colega. Um verdadeiro artista e um senhor.

24
Abr10

Mais um vil ataque

Eremita

É sabido que Chesterton foi - Avalon! - o grande mestre do quiasmo e Orthodoxy - Avalon! - não deixa ninguém indiferente. Creio até que Gabriel Alves terminava o livro momentos antes de cunhar o "a técnica da força e a força da técnica". Esta vai pois com a devida vénia: o Rui Caeiro "vive na aldeia"? A aldeia vive em mim. Quem é mais eremita agora, quem é? E vive na aldeia "por opção"? Mas o Rui acredita nisso? No livre arbítrio? Somos peões no grande xadrez do cosmos, meu caro. Como compreenderá, continuaremos agora a existir como se este incidente não tivesse tido lugar. Mas escreva contra Lisboa, seja um homenzinho.

 

 

Pág. 1/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Links

Blogs

Cultura

Ajude Fausto:

  • Uma votação em curso

Ouriquense, S.A, Redacções por encomenda

Séries

Personagens ouriquenses

CineClube- programação

  •  

Filmes a piratear

  •  

Filmes pirateados

Alfaias Agrícolas

Apicultura

Enchidos e Presuntos

Pingo Doce

Imprensa Alentejana

Portal ucraniano

Guitarra

Judiaria

Tauromaquia

Técnicas de homicídio

John Coplans

Artes e Letras

Editoras Nacionais

  •  

Literatura Russa

Leituras concluídas

Leituras em Curso

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D